Copyright © 2017 por LocaFirme. Todos os direitos reservados.

Estamos localizados na

Av. América Central, 1001

Cabo Frio, RJ

CEP: 28909-581

ENCONTRE-NOS

NOSSOS TELEFONES

(22) 3053-1742 | (22) 2648-1864 |     (22) 98834-8539

Seg a Sex, das 08h às 21h. Sáb e Dom, das 08h às 14h

NOSSOS HORÁRIOS

'Tentamos 4 vezes e ainda não temos o carro de R$ 30 mil', diz Chevrolet

03/10/2015

Montadora ainda não conseguiu definir um sucessor para o Celta.
Novo Camaro foi confirmado para 2016, enquanto 'veterano' Classic segue

 

No início de setembro, a Chevrolet retirou de seu site oficial o Celta, depois de 15 anos e 1,7 milhão de unidades produzidas. Antes disso, em agosto, já era praticamente impossível encontrar alguma unidade à venda nas lojas.

 

Com a saída de um modelo, é natural que outro ocupe o espaço deixado. Não é o caso do Celta, que não ganhou um substituto. Mas isso não quer dizer que a GM desistiu de ter um modelo de entrada. A questão é que o substituto ainda não foi encontrado.

 

“Tentamos por 4 vezes fazer um carro de R$ 30 mil, mas ainda não conseguimos”, afirmou Marcos Munhoz, vice-presidente da GM do Brasil. Para o executivo, a questão, porém, não é fundamental para o sucesso da marca.

 

Mas a movimentação da concorrência pode apressar os planos para criar o tão falado “carro de R$ 30 mil”.

“Vamos esperar e ver como vai ser o 'city car' que a Fiat está preparando”, completou o executivo.

Já para o presidente da GM para a América do Sul, Barry Engle, a resposta para o “novo Celta” pode vir do exterior, mas esbarra em outros problemas. “Câmbio alto e inflação são agora os fatores que complicam a escolha”, disse.

 

Vale lembrar que a marca irá investir até 2019 a quantia de R$ 13 bilhões no Brasil. Como parte deste investimento, está a criação de uma nova família de veículos.

 

Mesmo se não houver um sucessor do Celta, a empresa não parece tão preocupada. No segmento imediatamente acima, a marca domina o varejo – o Onix, que parte de R$ 37.790, é o modelo mais vendido do país para pessoas físicas.

Veteranos
Por outro lado, quem quiser uma opção mais em conta do que o Onix, pode optar por outro veterano da Chevrolet, o Classic. O sedã compacto parte de R$ 33,9 mil, e é um dos modelos que possuem o projeto mais antigo à venda no Brasil.

 

A história do Classic remete a 1996, ano em que foi lançado no Brasil como Corsa Sedan. De lá para cá, foram alguns aprimoramentos e leves mudanças visuais. Mas, quem pensa que o veteraníssimo estar em linha até hoje é motivo de vergonha para a GM, está errado. “O Classic é um fenômeno, é a opção mais barata para quem precisa de um carro barato, mas também espaçoso”, completou Munhoz.

O terceiro veterano na linha da Chevrolet é a Montana. A picape compacta ainda carrega o visual de 2010, baseado no já extinto Agile. Nas vendas, ela é a terceira mais vendida em um segmento de três rivais. Apesar de ter números consistentes (foram 18 mil unidades entre janeiro e agosto), ela perde para VW Saveiro (42 mil unidades) e Fiat Strada (72 mil unidades).

 

Neste caso, os chefes da GM parecem discordar. Para Engle, “o segmento é importante, e a Chevrolet deve sim, fazer algo para atualizar a picape”. Já Munhoz parece menos otimista com mudanças. “A Montana é voltada para o trabalho e faz bem isso, não há por que mudar”, disse.

Camaro vem
A dificuldade do câmbio, mencionada por Barry Engle sobre a chegada de um novo subcompacto é refletida também nos modelos mais caros da marca, principalmente aqueles que já são vendidos por aqui.

 

O caso mais exemplar é o Camaro. Nos Estados Unidos, o esportivo já ganhou nova geração. A atual, ainda vendida no Brasil, nem é mais produzida. E é aí que nasce o problema. Ao trocar de geração, a marca teria que atualizar os preços em dólar para real.

 

“O carro chega no ano que vem, porém, vamos ter que fazer as contas. Não dá pra perder dinheiro vendendo Camaro, que tem um certo volume. Por outro lado, é um carro de imagem, e temos que trazer”, disse Munhoz.

 

Uma possível solução, a vinda de modelos com motores menores, um V6, ou até um 2.0 turbo, porém, está descartada. “Se vamos trazer uma versão de um esportivo, ela deve ter bom desempenho, não pode ser o 2.0. E os clientes nem consideraram o V6, em clínicas, comparado com o V8”, completou o vice-presidente.

 

Com isso, quando for lançada, a nova geração do Camaro não deve sair por muito menos de R$ 300 mil, contra os R$ 241.350 atuais.

 

Fonte: G1

Please reload

Destaques

Morro do Vigia será aberto à visitação no próximo verão

07/09/2019

1/10
Please reload

Posts Recentes